Bahia – A cada vez que cai um secretário de Rui Costa, o tal “Correria” se esconde nas coxias

A cada queda de um secretário de Rui Costa (PT) sua equipe de marketing é tomada de calafrios. Um Deus nos acuda!

A invariável demora que o governador leva para promover as substituições coloca por terra todo o trabalho da comunicação para sustentar sua imagem de “grande gestor”.

Imagem, aliás, concebida como contraponto à do seu padrinho político e antecessor no governo baiano, Jaques Wagner (PT), que deixou o mandato com fama de ser melhor político do que administrador.

Uma análise com maior acuidade do que é o governo Rui Costa e da qualidade mesma de sua equipe já seria suficiente para dizer que o “grande gestor” existe apenas na propaganda do governo que os baianos custeiam.

No ano passado, várias pastas haviam sido deixadas sem seus titulares e apenas algumas delas, depois de meses, foram ocupadas por nomes novos. Mas este ano.

Trocando em miúdos, a mais plena negação do “Correria”, nome com que o marketing apelidou Rui e que conseguiu atribuir, inclusive, a um programa que ele faz semanalmente na internet.

Em alguns casos, órgãos predominantemente técnicos são ocupados por figuras absolutamente inadequadas para comandá-los. Pegue-se a Educação: um vexame!

Em outros, partidos que, inclusive, já deixaram o governo, continuam aboletados na máquina numa situação que os aliados simplesmente não entendem.

Agora, a cada novo nome que surge na praça para ocupar a secretaria estadual de Saúde o time da comunicação se arrepia.

Um dia é Ceuci, no outro Jerônimo, depois Chioro e até Jadelsson, formando uma fila interminável de candidatos a demonstrar que até agora o governo não sabe o que fazer com a nova vaga.

Realmente, este governo é uma “Correria”!

Política Livre

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

Bahia – Governador diz que fará reunião virtual com prefeitos para tratar sobre o Carnaval

Questionado mais uma vez sobre a realização ou não do Carnaval 2022, o governador Rui Costa (PT) disse, nesta sexta-feira

 

Sandro Régis rebate Rosemberg: “Retrocesso é a Bahia ser líder em homicídio e última em educação”

O deputado estadual Sandro Régis (Democratas), líder da oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), rebateu nesta sexta-feira (3) as