Bahia – João Leão vira único entrave para formação da chapa de Wagner

Pessoas próximas ao senador Jaques Wagner (PT) disseram à Tribuna que o vice-governador João Leão (PP) é hoje o único entrave para a formação da chapa petista ao governo da Bahia. Apesar de os governistas não saberem ainda o que fazer com o pepista, o governador Rui Costa (PT), Wagner, o senador Otto Alencar (PSD) e o próprio Leão combinaram que vão decidir, até o dia 30 de janeiro, os integrantes da majoritária.

Nesta semana, em entrevista à rádio Metrópole, Otto confirmou que irá disputar novamente para senador, desistindo, portanto, de ser candidato a governador. “Não precisa esperar mais para março, não. A minha pretensão é a candidatura à reeleição ao Senado Federal. Essa é a minha pretensão”, declarou o senador, que também é presidente do PSD na Bahia. Wagner já tinha dito, em março deste ano, que seria postulante ao Palácio de Ondina.

Dessa forma, só sobra a vaga de vice-governador. No entanto, Leão não pode ser candidato novamente, uma vez que já tem dois mandatos. Além disso, o seu filho, o deputado federal Cacá Leão (PP), também não por causa da lei eleitoral. Dois nomes são cogitados para ser indicado pelo PP: o ex-senador Roberto Muniz e o deputado federal Ronaldo Carletto. Dentro do PT, há uma resistência ao nome de Carletto por, segundo petistas, se posicionar “inteiramente contra as agendas progressistas, dos movimentos sociais e da classe trabalhadora” nas votações da Câmara dos Deputados. O parlamentar é próximo ao bolsonarismo.

Já Muniz é visto com bons olhos por, de acordo com petistas, ser um “bom interlocutor da classe empresarial”. Mas o grande ponto de interrogação na base governista é: “o que fazer com Leão?”. Já cogitou a possibilidade de o vice-governador ser candidato a deputado estadual e, se eleito, haver um acordo para ser presidente da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA). Também já pensou na hipótese de Leão ser conselheiro do Tribunal de Contas. Entretanto, a proposta foi descartada uma vez que o pepista tem 75 anos, e idade máxima para ingressar na Corte é até 65 anos. A aposentadoria compulsória por idade é 75 anos.

Por enquanto, segundo aliados, Leão só tem colocado na mesa uma única alternativa: ser governador. O vice-governador quer que Rui Costa renuncie para que ele comande o Palácio de Ondina por oito meses. “João Leão governador. Bote isso na cabeça, com o apoio do PT”, tem dito ele. O PP, inclusive, até cederia o espaço na chapa Rui ser candidato a senador. Essa hipótese, todavia, é considerada descartada. Já que, conforme os governistas, Otto ameaça abandonar o grupo político, se Leão virar chefe estadual. Isso porque o senador temeria que Leão invadisse suas bases políticas ao assumir o governo da Bahia.

Rodrigo Daniel Silva/Tribuna da Bahia

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Bahia – Neto rebate provocação de Wagner sobre terceiro lugar: ‘Não é ele quem decide’

O ex-prefeito de Salvador e pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, ACM Neto, respondeu, pelo Instagram, uma provocação do

 

Bahia – Rui deve se reunir com Bacelar essa semana para definir permanência do deputado na base

O governador Rui Costa (PT) deve conversar ainda nesta semana com o presidente do Podemos na Bahia, o deputado federal

 

Bahia – Isidório abre portas do Avante para Bacelar e diz que partido permanecerá na base de Rui

O presidente do Avante na Bahia, o deputado federal Pastor Sargento Isidório, abriu as portas do partido para uma possível