Bahia – Sandro Régis diz que projeto do governo para venda de terrenos é uma ‘afronta à legalidade jurídica’

O deputado estadual Sandro Régis (Democratas), líder da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), criticou nesta sexta-feira (23) o projeto do governo do estado para venda de 27 imóveis e afirmou que a proposta é uma afronta à legalidade jurídica. Nesta sexta, foi publicado no Diário Oficial do Legislativo um levantamento descritivo sobre os terrenos que o governo pretende vender.

“Há vários imóveis nesse projeto que já estão alienados, imóveis que nem pertencem mais ao estado, que estão sub judice. A Oposição não vê com bons olhos, porque não estamos lá para fazer ilegalidade. Esse é um projeto que realmente é uma afronta à toda a legalidade jurídica do nosso estado”, disse Régis.

A proposta chegou a ter sua tramitação suspensa após decisão judicial. Na decisão, o desembargador Paulo Alberto Chenaud diz que há “vícios formais observados no processo legislativo do Projeto de Lei nº 24.160/2021”. Continua depois da publicidade

Para Régis, não é possível “aprovar um projeto desta magnitude” de forma atropelada. Ele defende que o governo apresente estudos aprofundados sobre cada imóvel e alerta: “Se esse projeto for votado e aprovado na ALBA, a Assembleia estará cometendo um ato ilícito, e irá desmoralizar o Parlamento”.

Fonte: Estado da Bahia

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Apesar de desgastes, aliados de Lula e Alckmin veem aliança pavimentada

Apesar de ter apresentado desgastes, a chapa conjunta entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido)

 

Moro desafia Lula para debate ‘sobre mensalão e petrolão’

Estreante numa campanha eleitoral, o pré-candidato à Presidência pelo Podemos, Sérgio Moro, se tornou alvo de desafios para debates cara

 

União Brasil já tem 3 nomes de vice para a disputa pela presidência

Mesmo sem saber qual candidato vai apoiar nas eleições presidenciais de outubro, o União Brasil já tem três nomes de