Bahia – Sandro Régis nega clima de vitória no grupo de Neto e diz não acreditar em uma terceira via

Líder da Oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), o deputado Sandro Régis (DEM) negou que há um clima de vitória no grupo de ACM Neto, que vem liderando pesquisas ao governo da Bahia nas eleições de 2022.

Sandro justificou que o único clima presente no grupo é de trabalho e sede de mudança. “Não há clima de vitória, mas existe um clima de muito trabalho e dedicação”. De acordo com o deputado, os baianos estão cansados de “muita propaganda e pouca ação”.

“Agora, o que nós estamos percebendo não só em Salvador, mas como em todo o estado, é uma vontade muito grande de mudança. Tanto o baiano quanto o soteropolitano já cansaram de muita propaganda e pouca ação. Ninguém aguenta mais uma Bahia líder de analfabetismo, uma Bahia líder de violência, homicídio e assassinato. Então nós queremos mudança e a população também”, disse o líder da Oposição na Alba, durante coletiva de inauguração da Cidade da Música da Bahia, nesta quinta-feira (23).

Questionado sobre a possibilidade de existir uma terceira via, Régis diz não acreditar na possibilidade.

“Não, não acredito. A população baiana já consolidou sua vontade de mudança. Já desassociou a candidatura presidencial com a candidatura de governo. O baiano vai votar para governo e vai votar para presidente. Cada um no seu quadrado”.

Bahia.ba

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Apesar de desgastes, aliados de Lula e Alckmin veem aliança pavimentada

Apesar de ter apresentado desgastes, a chapa conjunta entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido)

 

Moro desafia Lula para debate ‘sobre mensalão e petrolão’

Estreante numa campanha eleitoral, o pré-candidato à Presidência pelo Podemos, Sérgio Moro, se tornou alvo de desafios para debates cara

 

União Brasil já tem 3 nomes de vice para a disputa pela presidência

Mesmo sem saber qual candidato vai apoiar nas eleições presidenciais de outubro, o União Brasil já tem três nomes de