Bolsonaro obriga postos de gasolina a informar preços antes e após teto do ICMS

O presidente Jair Bolsonaro (PL) editou um decreto que obriga os postos a divulgar a queda de preço dos combustíveis após a mudança na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

“Os postos revendedores de combustíveis automotivos deverão informar aos consumidores, de forma correta, clara, precisa, ostensiva e legível, os preços dos combustíveis automotivos praticados no estabelecimento em 22 de junho de 2022, de modo que os consumidores possam compará-los com os preços praticados no momento da compra”, diz trecho do decreto publicado na edição desta quinta-feira (7) do Diário Oficial da União.

A data de corte do dia 22 de junho é justamente quando entrou em vigor o projeto que classificou combustíveis, gás natural, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo como produtos e serviços essenciais, e consequentemente, limitando a cobrança do ICMS pelos estados.

O decreto, que tem vigência desta quinta-feira (7) até 31 de dezembro deste ano, determina ainda que os postos devem discriminar os valores cobrados de ICMS, PIS/Pasep, Cofins e à Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico Cide. O fim de 2022 é também a data limite dos benefícios da chamada “PEC Kamikase”, que prevê, entre outras coisas, o aumento do valor do Auxílio Brasil e pagamento de vale para caminhoneiros para atenuar o impacto da crise dos combustíveis.

Críticos do governo classificaram o decreto presidencial como mais uma medida eleitoreira. “Propaganda eleitoral obrigatória: Bolsonaro editou decreto que obriga os postos a exibir preço dos combustíveis antes e depois de teto para ICMS”, criticou a deputada federal Joice Hasselmann (PSDB), ex-bolsonarista e hoje opositora.

Correio Brasiliense

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

Tamanho G – Justiça Eleitoral condena partido do governador da Bahia a pagar multa de R$ 10 mil por propaganda antecipada e fake News

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) condenou o PT a pagar multa de R$ 10 mil por propaganda antecipada e divulgar

 

PSB de Alckmin evita PT nos estados e vai apoiar até aliados de Bolsonaro

Maior partido aliado de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na campanha presidencial e legenda do candidato a vice-presidente Geraldo

  

Sandro Regis oficializa candidatura e recebe comitiva de Gandu durante a convenção

Durante a convenção do União Brasil, que oficializou a chapa majoritária encabeçada por ACM Neto, o deputado estadual Sandro Regis,