Gandu – Como se encontra, oposição ficará sem palanque em 2022

Caso continue como se encontra, a oposição a gestão do prefeito Leonardo Cardoso (PP), passará mais uma eleição ao governo do estado, sem espaço no palanque do candidato que provavelmente apoiará. Isso porque, é inegável a admiração e simpatia que o atual governador, Rui Costa (PT), dispensa ao alcaide ganduense, além do momento “anestesiado” que vive seus adversários.

Além de ser, uma referência para outros municípios, Léo de Neco caiu na graça do governador, além de contar com o apoio de um dos deputados federais mais fortes da bancada baiana no congresso que dar sustentação ao governo baiano que é Ronaldo Carletto (PP), cotado inclusive para compor a chapa majoritária encabeçada pelo ex-governador, Jaques Wagner (PT).

Em 2018, ano da reeleição de Rui Costa, ficou claro a preferência do petista ao grupo de Léo de Neco, preterindo inclusive, antigos “companheiros”, a exemplo do ex-prefeito Djalma Galvão, atualmente no PSD, onde concorreu e foi derrotado nas eleições municipais de 2020.

Segundo pessoas próximas ao ex-gestor, a decisão de ter deixado o PT e ingressado no PSD, foi pela “desatenção” do governo do estado a sua candidatura em 2016, além de garantir o apoio da ex-prefeita Dra. Irismá (PSD), que compôs a chapa majoritária ao seu lado em 2020, perdendo com a histórica diferença de 5.511 votos.

Por outro lado, o PT em Gandu, teve candidato próprio em 2020, não apoiando a chapa “oficial” da oposição local, lançando o renomado advogado Dr. Roberto Oliveira para prefeito e Adson da Rifa como Vice.

Ainda segundo membros da oposição, ainda nem sequer se sabe, quem são os deputados estadual e federal, respectivamente, apoiado pelos líderes, ou se acontecerá o famoso “Mix Político”, criado ainda na gestão da dra. Irismá em 2010, onde cada um ficou com candidatos diferentes, voltando a se repetir em 2014 e 2018.

Ouvindo alguns amigos que fazem parte da oposição local, todos foram unanimes em afirmar que:

“Como está, não será possível pensar politicamente em 2024 em apoiar possíveis candidatos que preferem “dividir” palanque com seu maior adversário apenas para dizer que faz parte do grupo do governador do estado”.

Caso, algum líder político citado neste artigo se ache ofendido ou tenham posições diferentes das apresentadas, o espaço está aberto para suas considerações e opiniões, desde que não haja ofensas a quem quer que seja.

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Apesar de desgastes, aliados de Lula e Alckmin veem aliança pavimentada

Apesar de ter apresentado desgastes, a chapa conjunta entre o ex-presidente Lula (PT) e o ex-governador Geraldo Alckmin (sem partido)

 

Moro desafia Lula para debate ‘sobre mensalão e petrolão’

Estreante numa campanha eleitoral, o pré-candidato à Presidência pelo Podemos, Sérgio Moro, se tornou alvo de desafios para debates cara

 

União Brasil já tem 3 nomes de vice para a disputa pela presidência

Mesmo sem saber qual candidato vai apoiar nas eleições presidenciais de outubro, o União Brasil já tem três nomes de