Maioria é contra obrigatoriedade de prescrição médica para vacinação de crianças

A maioria das pessoas que participaram da consulta pública sobre vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a covid-19 é contrária à obrigatoriedade de prescrição médica para imunização. A informação foi divulgada pela secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, Rosana Leite de Melo, nesta terça-feira, 4, durante audiência pública sobre o tema.

“Tivemos 99.309 pessoas que participaram neste curto intervalo de tempo cujo documento esteve para consulta pública. Sendo que a maioria se mostrou concordante com a não compulsoriedade da vacinação e a priorização das crianças com comorbidades. A maioria foi contra a obrigatoriedade de prescrição médica no ato de vacinação”, disse a secretária.

Em dezembro, o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que o governo vacinaria as crianças apenas mediante prescrição médica. Após a fala, o Conselho Nacional de Secretarias de Saúde (Conass) divulgou uma “carta de Natal às crianças do Brasil”, na qual confirmou que nenhum Estado exigiria o documento.

A decisão do Conass foi alvo de críticas de Queiroga. Na ocasião, o ministro afirmou que os Estados deveriam se manifestar na consulta pública. “Governadores falam em prescrição, prefeitos falam em prescrição. Não ter uma prescrição”, disse. “Pelo que eu saiba, a grande maioria deles não são médicos.”

A consulta pública para manifestação da sociedade civil sobre a imunização das crianças foi criticada por especialistas e terminou no domingo, 2. Na sexta-feira, 31, o Ministério da Saúde afirmou em nota que sua recomendação é “pela inclusão da vacinação em crianças de 5 a 11 anos no Plano Nacional de Operacionalização das Vacinas Contra a covid-19”.

“No dia 5 de janeiro, após ouvir a sociedade, a pasta formalizará sua decisão e, mantida a recomendação, a imunização desta faixa etária deve iniciar ainda em janeiro”, informou a pasta.

 Iniciada por volta das 10h15, a audiência pública não conta com a participação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que autorizou a aplicação da vacina da Pfizer nas crianças em 16 de dezembro. A agência foi convidada, mas decidiu não participar.

Bastidores do Poder

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Bahia – Neto rebate provocação de Wagner sobre terceiro lugar: ‘Não é ele quem decide’

O ex-prefeito de Salvador e pré-candidato do DEM ao governo da Bahia, ACM Neto, respondeu, pelo Instagram, uma provocação do

 

Bahia – Rui deve se reunir com Bacelar essa semana para definir permanência do deputado na base

O governador Rui Costa (PT) deve conversar ainda nesta semana com o presidente do Podemos na Bahia, o deputado federal

 

Bahia – Isidório abre portas do Avante para Bacelar e diz que partido permanecerá na base de Rui

O presidente do Avante na Bahia, o deputado federal Pastor Sargento Isidório, abriu as portas do partido para uma possível