Margareth Menezes sofre 1º revés ao escolher secretário do Ministério da Cultura

A futura ministra da Cultura, Margareth Menezes, não conseguiu emplacar seu nome preferido para a secretaria executiva do ministério.

A cantora desejava ter como braço-direito Zulu Araújo, ex-presidente da Fundação Palmares, mas prevaleceu o favoritismo do secretário nacional de cultura do PT, o historiador Márcio Tavares, defendido pela socióloga Rosângela da Silva, a Janja, mulher do presente eleito Luiz Inácio Lula da Silva.

Ex-diretor do Olodum, Araújo comanda a Fundação Pedro Calmon, vinculada à secretaria de Cultura da Bahia. Em 2007, foi conduzido à presidência da Fundação Palmares pelo então ministro Gilberto Gil.

Apesar da preferência pelo amigo, liderança histórica do movimento negro baiano, Margareth aceitou o favorito de Janja, a responsável pela defesa de sua indicação como ministra. Zulu Araújo deve ser nomeado para a chefia de gabinete.

Márcio Tavares se aproximou de Janja durante a campanha de Lula. Doutor em arte pela Universidade de Brasília (UnB) e mestre em história pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ele é curador e gestor cultural. Depois de críticas à escolha de Menezes para o cargo, Janja sentiu mais confiança no perfil de Tavares para ajudar a ministra na reversão do desmonte da Cultura no governo de Jair Bolsonaro.

A admiração é recíproca. “Janja é uma mulher brilhante, sensível e uma ativista incansável. Foi fundamental para a vitória da democracia e, agora, vai ser uma figura importante na reconstrução do país com Lula. É uma sorte termos uma mulher como Janja. Lugar de mulher é onde ela quiser! Respeita a Janja”, escreveu Tavares em seu perfil no Twitter, em 12 de novembro.

Tavares integrou o grupo de transição da cultura e defendeu a escolha de Margareth dentro do PT. Os dois se entenderam bem na transição e chegaram juntos ao hotel de Lula, em Brasília, nesta terça-feira (13) para oficializar a nomeação da futura ministra.

Claudio Leal/Folhapress

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Salvador – Mais de 30 pré-candidatos deixam Solidariedade e filiam-se aos partidos da base de Bruno Reis

Um grupo com mais de 30 pré-candidatos a vereador deixaram o Solidariedade, que faz parte da base do governo Jerônimo

 

Salvador –  Bruno Reis lidera intenções de votos em todos os cenários

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), segue liderando as pesquisas de intenções de votos. Na mais recente, feita pela

 

Salvador – Duas outras boas notícias para Bruno Reis relativas à pesquisa AtlasIntel

Além da excelente notícia para Bruno Reis (União Brasil), faltando sete meses para o pleito, de que ele pode levar