Porque o PT protege Geddel e ignora ataques contra mulheres?

Causa espanto e até revolta o silêncio do Partido dos Trabalhadores (PT) e de deputadas ligadas à esquerda em relação aos ataques proferidos pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) contra a ex-vice-presidente do PT e atual filiada do PSOL, Célia Regina Arouca. Ele mandou a vítima “dá (sic!) meia hora de c*”. Porque o PT ignora os ataques sexistas de Geddel? Estamos falando de atos de violência moral e psicológica contra as mulheres. Quem cala consente.

Os ataques começaram no sábado (15/10) após a ativista social fazer um post nos stories do seu Instagram contra a aliança do PT com Geddel. Revoltado, o homem das malas de R$51 milhões foi até o privado de Célia e proferiu ofensas gratuitas.

“Vamos fazer um acordo? Eu calo a boca e vc vai dá (sic!) meia hora de c*, difícil vai ser achar quem queira comer, pela foto, você está uma velha bem caidinha, então, sem acordos mesmo. Vai dar o c*”, escreveu Geddel.

Porque o PT ignora ataques sexistas de Geddel e porque figuras notadamente feministas, a exemplo das deputadas federais reeleitas Alice Portugal (PCdoB) e Lídice da Mata (PSB), silenciaram diante do “machismo que mata”? A resposta é simples. Geddel Vieira Lima é um dos principais articuladores da campanha de Jerônimo Rodrigues (PT) ao Governo baiano e não faltam exemplos para comprovar essa afirmação, inclusive nas redes sociais. Mas antes, uma informação importante. Geddel indicou o vice de Jerônimo, o vereador Geraldo Júnior. Também ocupa, através dos seus fiéis escudeiros, diversos cargos no atual Governo da Bahia. O “acordo do PT e MDB”, conforme fontes do Informe Baiano, é Geddel comandar ainda “duas secretarias de porteira fechada” num eventual governo Jerônimo. O que é isso? Significa que Geddel com seu partido MDB vai indicar todos os cargos de duas Pastas e fazer o que quiser. Uma verdadeira imoralidade.

Condenado por lavagem de dinheiro, o homem das malas de R$51 milhões foi o responsável por diversas adesões ao time do PT, a exemplo do vice-prefeito de Cabaceiras, Aurino Machado. Na ocasião, Geddel foi o responsável pelo registro da foto e deixa claro: “atendeu nosso chamado”. Outra postagem mostra o prefeito de Ubatã, Bêda, dando satisfações ao, como o próprio gestor citou, “meu líder” Geddel sobre um evento de Jerônimo naquela cidade.

Relembro ainda uma fuga desesperada de Geddel em um elevador, no dia 30 de março, ao perceber a presença do Informe Baiano.

O líder do MDB baiano é tratado também como um dos mentores do candidato Jerônimo. Foi ele o primeiro a orientar o petista a não participar de debates contra o adversário ACM Neto (União Brasil) no segundo turno. Geddel sabe que discutir a Bahia é um “tiro no pé”.

Enquanto isso, a vítima de Geddel, Célia, teme pela própria vida. “Fiquem de olho em mim. Não confio nesse rapaz. Não tenho medo, mas sei que preciso de apoio”, disse em mensagem enviada ao IB.

Fonte: Informe Baiano

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

35 anos de Presidente Tancredo Neves – Mensagem do vereador Tuica

Neste dia 24 de Fevereiro de 2024, a nossa cidade completa 35 anos, e hoje, nada mais justo que parabenizar

 

Bahia – Jerônimo embarca para missão internacional na Espanha e Geraldo Jr. assume governo

O governador Jerônimo Rodrigues (PT) embarca, neste sábado (24), em mais uma missão internacional, desta vez, na Espanha. Em Madrid,

 

Choque, cavalaria e drone: veja como será esquema de segurança de ato de Bolsonaro na Paulista

A manifestação convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para este domingo, 25, na Avenida Paulista, em São Paulo, terá policiamento reforçado,