Bahia – Apesar da federação, membros do PV Bahia cogitam não apoiar PT

A ideia de não apoiar o Partido dos Trabalhadores é levantada por uma corrente dentro do diretório do Partido Verde na Bahia. Mesmo sem brechas legais, membros que já previam dividir palanque com o pré-candidato do União Brasil, ACM Neto, discutem a liberação da executiva nacional para que sigam na direção contrária da federação formalizada com a sigla do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A aliança junto ao PT também aglutina outros partidos de esquerda, como o PSB e o PCdoB – este último também parte da federação -, comprometendo apoios não só a nível federal como também nos estados.

Uma plenária foi realizada entre integrantes do PV de Salvador no sábado (30) para debater a possível posição. O encontro antecede outra reunião, desta vez de todos os correligionários da Bahia, no próximo dia 14 de maio.

“Ela [a federação] de fato impactou a nossa realidade aqui”, declarou Ivanilson Gomes, presidente estadual da legenda.

Embora admita que não há a base legal, o dirigente disse que o caminho precisa ser construído, porque parte dos políticos verdes já estavam em campo fazendo um trabalho “pró-ACM Neto”.

“Esse é um processo em que a gente ouve os dirigentes e os militantes. Alguns deles querem seguir a federação e outra parte acha que poderíamos conversar com a direção nacdional para que politicamente eles fossem liberados para seguir o caminho que vinha antes trilhando”, destacou Ivanilson, defendendo que esta seja uma decisão coletiva.

A definião que for tomada entre os integrantes do Partido Verde será levada para a direção nacional, alegou o líder. Ele acrescentou que houve um certo silêncio por haver um “fio de esperança” de que a federação não vingasse, garantindo assim a autonomia dos diretórios estaduais, cenário que não se confirmou.

“No momento que ela foi registrada o partido tem se reunido para encontrar saídas que mantenham a unidade, que não crie um partido com duas posições antagônicas”, revelou.

Nos ultimos dias, a exoneração da ex-secretária municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência de Salvador, Edna França, deu início ao processo de saída do partido do governo do prefeito Bruno Reis (UB). No lugar dela assumiu a vereadora licenciada Marcelle Moraes (UB) (veja aqui).

Junto com França, todos os cargos de confiança ocupados por filiados ou indicados pelo PV passaram a ter suas demissões publicadas no Diário Oficial do Município (DOM).

“Outros estão saindo porque a secretária nova está fazendo a troca gradativa, e todos já colocaram seus cargos à disposição”, finalizou Gomes em entrevista ao Bahia Notícias.

Fonte: Bahia Noticias

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

Projeto do senador Ângelo Coronel determina benefício da audiência de custódia apenas para não reincidente

O senador Angelo Coronel (PSD-BA) apresentou Projeto de Lei para mudar o Código de Processo Penal e tornar obrigatória a

 

Bahia – Prefeito de Santaluz abandona base do governo e firma apoio a ACM Neto: “não cumpriram”

O prefeito de Santaluz, Arismário Barbosa Júnior (Avante), que havia declarado publicamente apoio ao ex-secretário de Educação da Bahia e

 

Bahia – Deputado Sandro Régis desmonta factoide de Rui Costa e Bahia é campeã nacional do desemprego

O deputado Sandro Régis (UB) demoliu o factoide do governo de Rui Costa, de que “nunca na história se investiu