Bahia – Apesar da federação, membros do PV Bahia cogitam não apoiar PT

A ideia de não apoiar o Partido dos Trabalhadores é levantada por uma corrente dentro do diretório do Partido Verde na Bahia. Mesmo sem brechas legais, membros que já previam dividir palanque com o pré-candidato do União Brasil, ACM Neto, discutem a liberação da executiva nacional para que sigam na direção contrária da federação formalizada com a sigla do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

A aliança junto ao PT também aglutina outros partidos de esquerda, como o PSB e o PCdoB – este último também parte da federação -, comprometendo apoios não só a nível federal como também nos estados.

Uma plenária foi realizada entre integrantes do PV de Salvador no sábado (30) para debater a possível posição. O encontro antecede outra reunião, desta vez de todos os correligionários da Bahia, no próximo dia 14 de maio.

“Ela [a federação] de fato impactou a nossa realidade aqui”, declarou Ivanilson Gomes, presidente estadual da legenda.

Embora admita que não há a base legal, o dirigente disse que o caminho precisa ser construído, porque parte dos políticos verdes já estavam em campo fazendo um trabalho “pró-ACM Neto”.

“Esse é um processo em que a gente ouve os dirigentes e os militantes. Alguns deles querem seguir a federação e outra parte acha que poderíamos conversar com a direção nacdional para que politicamente eles fossem liberados para seguir o caminho que vinha antes trilhando”, destacou Ivanilson, defendendo que esta seja uma decisão coletiva.

A definião que for tomada entre os integrantes do Partido Verde será levada para a direção nacional, alegou o líder. Ele acrescentou que houve um certo silêncio por haver um “fio de esperança” de que a federação não vingasse, garantindo assim a autonomia dos diretórios estaduais, cenário que não se confirmou.

“No momento que ela foi registrada o partido tem se reunido para encontrar saídas que mantenham a unidade, que não crie um partido com duas posições antagônicas”, revelou.

Nos ultimos dias, a exoneração da ex-secretária municipal de Sustentabilidade, Inovação e Resiliência de Salvador, Edna França, deu início ao processo de saída do partido do governo do prefeito Bruno Reis (UB). No lugar dela assumiu a vereadora licenciada Marcelle Moraes (UB) (veja aqui).

Junto com França, todos os cargos de confiança ocupados por filiados ou indicados pelo PV passaram a ter suas demissões publicadas no Diário Oficial do Município (DOM).

“Outros estão saindo porque a secretária nova está fazendo a troca gradativa, e todos já colocaram seus cargos à disposição”, finalizou Gomes em entrevista ao Bahia Notícias.

Fonte: Bahia Noticias

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

Brasil – Sem clima para aprovação, governo retira projeto do DPVAT de votação

O líder do governo no Senado, Jaques Wagner (PT-BA), retirou da pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do

  

Cabeça do Congresso – Senador baiano é eleito relator-geral do Orçamento

O senador baiano Angelo Coronel (PSD) foi eleito na tarde desta quarta-feira (24/04) relator-geral do Orçamento de 2025. A Comissão

  

Brasil – Projeto que libera estados legislarem sobre armas avança na Câmara

A CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) da Câmara dos Deputados aprovou na tarde desta quarta-feira (24) um projeto de