Bahia – PT entra com liminar para suspender carreatas de ACM Neto e Leão; TRE rejeita pedido

O Tribunal Regional Eleitoral da Bahia (TRE-BA) rejeitou pedido de liminar em mandado de segurança impetrado pelo PT para suspender comícios e carreatas promovidas pelos pré-candidatos ao governo ACM Neto (União Brasil) e ao Senado, João Leão (PP), com posterior postagem em redes sociais, nos municípios de Santanópolis, Ouriçangas, Aramari, Poções, Planalto e Boa Nova. O desembargador Ávio Mozar José Ferraz de Novaes considerou, ao indeferir o pedido de liminar, que não houve pedido de votos e, por isso, não se caracterizaria campanha antecipada.

“Com efeito, examinando os autos por meio de um juízo preambular e provisório, tudo leva a crer que a realização de carreatas pelos representados [ACM Neto e João Leão], seguida de divulgação de fotografias veiculadas na rede social Instagram, não configura conduta ilícita a reclamar a imposição de reprimenda por este Tribunal”, escreveu o desembargador na decisão proferida nesta terça-feira (26).

O magistrado ainda ressaltou que a própria parte autora, o PT, indicou que não houve pedido explícito de votos nos atos em que estiveram presentes João Leão e ACM Neto. Na ação, o PT destacou que “resta evidente e indubitável o propósito de pedir de forma clara e explícita – ainda que não verbalizada expressamente-, o voto dos eleitores”. O magistrado então comentou: “Vê-se, pois, que o próprio representante reconhece que não houve pedido explícito de voto por parte dos representados”.

O PT ainda sinalizou que seriam permitidos, no período de pré-campanha, somente atos em ambientes fechados e não nas ruas, mas o desembargador Ávio Novaes, disse que as carreatas são permitidas em períodos pré-eleitorais; ele também rechaçou a tese de que os atos violam a isonomia entre os pré-candidatos. “Entendo-a inexistente no caso concreto, haja vista o conjunto probatório até então coligido aos autos não permitir auferir se os eventos noticiados atingiram grandes dimensões ou se houve dispêndio de grande soma de recursos em sua realização”, pontuou Novaes.

Antes de citar decisões do TSE que sustentam a que ele proferiu nesta terça-feira, Ávio Novaes destacou que “nesse momento processual, o que se vê é que as carreatas impugnadas, bem como as postagens na rede social Instagram, servem como meio de exaltação das qualidades pessoais dos representados, o que é permitido pelo tipo objetivo contido no caput do art. 36-A da Lei n 9.504/97 [Lei das Eleições]”.

Davi Lemos/Política Livre

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

  

Projeto do senador Ângelo Coronel determina benefício da audiência de custódia apenas para não reincidente

O senador Angelo Coronel (PSD-BA) apresentou Projeto de Lei para mudar o Código de Processo Penal e tornar obrigatória a

 

Bahia – Prefeito de Santaluz abandona base do governo e firma apoio a ACM Neto: “não cumpriram”

O prefeito de Santaluz, Arismário Barbosa Júnior (Avante), que havia declarado publicamente apoio ao ex-secretário de Educação da Bahia e

 

Bahia – Deputado Sandro Régis desmonta factoide de Rui Costa e Bahia é campeã nacional do desemprego

O deputado Sandro Régis (UB) demoliu o factoide do governo de Rui Costa, de que “nunca na história se investiu