Depois da falta de competência quando teve a oportunidade, PT de Gandu estaria com planos de voltar a prefeitura compondo chapa do prefeito Léo

O PT de Gandu, que fez parte dos governos dos três gestores que antecederam o atual prefeito Leonardo Cardoso (Avante) e, quando teve a oportunidade, ao invés de demostrar competência e contribuir com o desenvolvimento do município, assim não fez, preferindo acirrar uma disputa interna entre o grupo político que tinha como principal aliado o PCdoB.

Mesmo sendo aliados dos governos estadual e federal da época e, tendo apoio dos senadores da república que representavam a Bahia, pouco fizeram por Gandu e seu povo. Hoje, é público e notório, que o prefeito Léo de Neco, goza de grande prestígio junto ao governo do estado, tanto durante a gestão de Rui Costa (atual ministro da Casa Civil), quanto na atual de Jerônimo Rodrigues. Para se ter uma ideia, a gestão de Léo, é referência até mesmo na esfera federal, isso por ter demonstrado competência e comprometimento com a administração pública da sua terra natal.

Para que possamos entender melhor, basta lembrarmos que, quando o PT governava Gandu no ano de 2016, o então governador Rui Costa, teve em Algodão, que fica há exatos 30 KM da nossa cidade, para inaugurar uma Biblioteca “sem livros”, que até hoje não funciona, no mesmo dia em que acontecia um comício em Gandu e, nem se quer por aqui passou, prova do prestígio junto ao staff governo do estado, o resultado já conhecemos, Léo de Neco, venceu a eleição por 248 votos de frente, que caso, 124 mudasse para o outro lado, elegia-se o então gestor por ser mais velho.

Acompanhando o sucesso do prefeito Léo, que provavelmente, elegerá o seu sucessor (a), aliados do PT de Gandu, já comentam que o candidato a vice-prefeito (a), na chapa apoiada por Léo e seu grupo político, será indicado pela legenda, arrotando que seria um pedido do governador Jerônimo Rodrigues. Ora, ora, será que Jerônimo e seu staff estaria mais preocupado com a eleição em Gandu, que tem um prefeito aliado e com aprovação que ultrapassa os 80%, do que em disputar a prefeitura de cidades como Feira de Santana, que tem como adversário, nada menos do que José Ronaldo (UB), que é reconhecido como o maior gestor que já governou a princesa do sertão?

Venhamos e convenhamos, o grupo do prefeito Léo, que tem o maior líder político da região, o seu pai e ex-prefeito Neco Kanguçú (PP), uma bancada formada por 11 dos 13 vereadores (as), no legislativo municipal, apoio de ex-vereadores atuantes no atua cenário, apoio de lideranças comunitárias, de empresários que estão convivendo com avanço do comercio, um time de secretários (as), que exercem com excelência e, o mais importante que é essencial para o sucesso em uma eleição depois de Deus, que sem sombras de dúvidas é a própria população, aceitariam ir para uma campanha para levar de volta ao passo municipal, figurões que perseguiram quem não lia em suas cartilhas, ou não aproveitaram a oportunidade lhes dada pelo povo?… dificilmente isso aconteceria.

Enxergamos que o prefeito Léo de Neco, que até o presente momento, vem regendo com maestria o seu grupo político e realizando uma gestão eficiente, na hora certa saberá apresentar uma chapa que terá o grande desafio, que é o de lhe suceder e manter o grupo unido, mesmo porque, também já enxergamos, Léo de Neco, como um dos deputados mais votados do estado da Bahia, nas eleições de 2026.

Gostou desse artigo?

Share on facebook
Facebook
Share on email
Email
Share on telegram
Telegram
Share on whatsapp
WhatsApp

Deixe um comentário

 

Salvador – Mais de 30 pré-candidatos deixam Solidariedade e filiam-se aos partidos da base de Bruno Reis

Um grupo com mais de 30 pré-candidatos a vereador deixaram o Solidariedade, que faz parte da base do governo Jerônimo

 

Salvador –  Bruno Reis lidera intenções de votos em todos os cenários

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (União), segue liderando as pesquisas de intenções de votos. Na mais recente, feita pela

 

Salvador – Duas outras boas notícias para Bruno Reis relativas à pesquisa AtlasIntel

Além da excelente notícia para Bruno Reis (União Brasil), faltando sete meses para o pleito, de que ele pode levar